Manuel Mendes – Missa Ferialis

De Manuel Mendes (c.1547-1605) a Missa Ferialis que, como o nome sugere, se destinava aos dias de feria, isto é, para os dias da semana. A estrutura desta missa compreende apenas o Kyrie, Sanctus e Agnus Dei. Os vídeos que partilhamos referem-se ao concerto do Ensemble da Sé de Angra na Igreja da Misericórdia de Angra, a 2 de Agosto de 2012, concerto integrado no Festival “Música Ibérica Séculos XVI & XVII” que decorreu em Angra do Heroísmo e Praia da Vitória de 28 de Julho a 5 de Agosto de 2012.

Nesta interpretação, o Ensemble da Sé de Angra é composto por Carolina Barbosa (superius), Ana Sousa (altus), Luís Henriques (tenor) e Jorge Barbosa (bassus). Há ainda a particularidade de termos a participação do sino da Igreja da Misericórdia no início do vídeo do Agnus Dei.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Manuel Mendes – Missa Ferialis

  1. Caro Luís, Muito obrigado por estas gravações e pela edição das respectivas partituras. Do pouco que vou conhecendo do reportório polifónico Português, creio que esta obra é estratégica porque é muito fácil ritmicamente, e como tal acessível a muitos coros de paróquia; no entanto, conserva o ambiente harmónico da polifonia da Renascença, que é o aconselhado pelo Magistério da Igreja (depois do canto gregoriano, claro está) e portanto será concerteza muito frutuoso para todos os que participarem dessa Liturgia. Se, com a ajuda de Deus, eu vier a cantar uma Missa polifónica com o meu côro, sem dúvida que começaremos por esta; aliás, talvez a traduza para o Português. (Já agora, deixo-lhe a nossa última gravação, litúrgica, para incentivar o Luís a divulgar mais destas obras homofónicas http://vimeo.com/92666556#t=1020s ). Uma pergunta: o pormenor do sino foi acidental ou propositado? O Cardeal Ratzinger defende que durante o Agnus Dei batamos com a mão no peito (como fazemos nos “mea culpa” do acto penitencial). De resto, muitos parabéns pela belíssima interpretação, votos de boa progressão coral e, sobretudo, de Liturgias frutuosas,

  2. Caro Francisco, de facto esta missa, pela sua brevidade, é bastante adequada para uso na Liturgia. O vídeo em questão foi feito em concerto, mas temo-la cantado por várias ocasiões no contexto litúrgico. A “participação” do sino foi acidental. Trata-se do sino que vai marcando as horas e que não se pode “calar”. Curiosamente estavamos bem sincronizados.
    cumprimentos,

Deixe um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s